You are here:  / Críticas / TRANSFORMERS – O LADO OCULTO DA LUA

TRANSFORMERS – O LADO OCULTO DA LUA

Não acredito quando algum cinéfilo diz que vai conferir uma mega-produção como TRANSFORMERS – O LADO OCULTO DA LUA sem nenhuma expectativa. As minhas eram muito, mas muito baixas mesmo, até porque fui surpreendido negativamente com o segundo filme da saga de Optimus Prime, Bumblebee e companhia, mas não é que nesse me diverti!

MICHAEL BAY parece mais contido e não maltrata tanto o espectador com suas câmeras giratórias e incessantes (e faz bem em ‘reciclar’ passagens que deram certo, como Sam Witwicky correndo no meio da rua toda destruída ou quando coloca Bumblebee escondido dentro da casa) e mesmo exagerando na duração, na tentativa de lançar um tom cômico e nas cenas em que a novata ROSIE HUNTINGTON-WHITELEY aparece semi-nua, encontramos indícios do primeiro (e muito melhor) capítulo do blockbuster.

Os primeiros quinze minutos, onde o roteirista EHREN KRUGER mescla fatos importantes da história da humanidade com Cybertron é uma ótima sacada, mas o segundo ato é cansativo e desnecessário – o que é aquele personagem de JOHN MALKOVICH (QUEIME DEPOIS DE LER) ou o ‘vilanismo’ apático de PATRICK DEMPSEY (PÂNICO 3)? – voltando com todo o vapor nas explosivas e maravilhosas cenas de ação do final.

Sam não mora mais com seus pais, tem uma nova namorada e procura um emprego para não depender de ninguém. E os Autobouts agora, ajudam o governo americano a manter a paz no mundo, porém uma nova ameaça surge quando descobrem destroços de uma nave alienígena que fora capturada nos anos 60. É questão de tempo para que Megatron e sua trupe voltem a causar estragos pelas ruas do país.

SHIA LABEOUF (CONTROLE ABSOLUTO) continua tendo uma ótima presença frente às câmeras, mas a teimosia ‘patriótica’ de BAY em mostrar o poder bélico norte-americano e seus soldados, que morrem pela bandeira azul vermelha e branca é irritante, sem contar a dublagem nacional que está patética.
Não fossem os efeitos especiais, a ação hipnótica – e por vezes em câmera lenta – e o carisma do protagonista, talvez eu não sairia tão satisfeito! Desligue o cérebro e vá assistir!

Obs.: para quem quer saber se MEGAN FOX faz falta… a resposta é não!

Título Original: Transformers: The Dark of the Moon
Ano Lançamento: 2011 (EUA)
Dir: Michael Bay
Elenco: Shia LaBeouf, Rosie Huntington-Whiteley, Josh Duhamel, John Malkovich, Ken Jeong, Patrick Dempsey, Frances McDormand, John Turturro

ORÇAMENTO: 200 Milhões de Dólares
NOTA: 7,0


PERGUNTA PARA O INTERNAUTA:

* O que você achou de TRANSFORMERS – O LADO OCULTO DA LUA ?
* Merece uma nova trilogia ?

Comente via Facebook

Comentários

1 COMMENT

  • Concordo, a Megan não fez falta e eu daria um conselho a quem for ver em casa: Não coloque o volume muito alto. Nps ultimos quarenta e cinco minutos eu quase fiquei surda.

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas