You are here:  / Top CP / 10 Melhores Filmes em Animação Japonesa

10 Melhores Filmes em Animação Japonesa

Uma das minhas grandes paixões é a animação japonesa. Primeiramente, foi a saudosa Rede Manchete e seus inúmeros animes que me inseriram neste mundo pop. Mas a Bandeirantes, com Dragon Ball Z, foi o ápice deste ‘vício’! Portanto, nada mais justo que homenagear a cultura Oriental com esta lista sobre os melhores filmes de animação japonesa.

Gen – Pés Descalços (1983, de Mori Masaki)

Animação JaponesaBaseado no belo mangá de Keiji Nakazawa, o filme conta a história do garoto Gen na época em que as bombas atômicas explodiram em Hiroshima e Nagasaki. Então, todo o desespero da população e as inúmeras perdas estão lá. Mas, além disso, mostra a esperança que nunca deixou de existir no coração de Gen.

Akira (1988, de Katsuhiro Otomo)

Um expoente do gênero da ficção científica steampunk e, mesmo hoje, mais de duas décadas após seu lançamento, continua atual. Uma obra prima maravilhosamente detalhada e um embate poderoso sobre a psique humana.

Meu Vizinho Totoro (1988, de Hayao Miyazaki)

Lotado de ternura, doçura e delicadeza impressionantes, é um daqueles filmes que ultrapassam barreiras e não envelhecem nunca. Mei e o próprio Totoro são personagens cativantes numa obra não menos que perfeita.

Túmulo dos Vagalumes (1988, de Isao Takahata)

Passado durante a época da Guerra, o diretor molda, na visão de dois órfãos, um dos roteiros mais tristes e, ao mesmo tempo, sublimes que o gênero já presenciou. Difícil é conter as lágrimas após os créditos subirem.

Memories (1995, de Katsuhiro Otomo)

Animação JaponesaSão três histórias, com três artistas diferentes. A primeira, intitulada Magnetic Rose é de Koji Morimoto, sobre dois viajantes do tempo. A próxima, Stink Bomb, de Tensai Okamura, onde a experiência de um cientista químico dá errado e Tóquio pode ser destruída. E a última, do próprio Otomo, é Cannon Fodder, que mostra a vida de uma cidade que tem como único propósito disparar canhões em inimigos desconhecidos. A crítica social, como sempre é evidente.

Ghost in the Shell (1995, de Mamoru Oshii)

Espionagem industrial e terror tecnológico num mundo onde as máquinas evoluíram a ponto de ameaçar a raça humana. Foi uma das grandes inspirações para Matrix.

A Princesa Mononoke (1997, de Hayao Miyazaki)

Muita mitologia, aventura e o fator de conscientização para salvar a natureza é o que encontramos aqui. A animação é sublime e conta com a assinatura do mestre Miyiazaki.

A Viagem de Chihiro (2001, de Hayao Miyazaki)

Fantasia e aventura se misturam em mais uma obra prima de Miyazaki, sem contar que há momentos extremamente sombrios no roteiro. O minimalismo nas cores e criações dos cenários são de encher os olhos. Levou o Oscar de Melhor Animação em 2003.

Metropolis (2001, de Rintaro)

Baseado no mangá do mestre Osamu Tezuka, Metropolis mostra a criação de um novo mundo e, todavia, o terror com o fim dos tempos. O interessante é que cabe direitinho no mundo em que vivemos.

Paprika (2006, de Satoshi Kon)

Um mundo de sonhos e delírios é apresentado ao espectador. Ao mesmo tempo, temos uma trilha sonora pouco usual – assim como o visual do filme. Paprika quebra qualquer tipo de barreira narrativa dos anos 90 e 2000.

Enfim, qual destas é a sua animação japonesa favorita? Comente com a gente!

Comente via Facebook

Comentários

5 COMMENTS

  • Que lindo. Me citou!

  • Poxa cara, nunca ouvi falar em nenhum deles, mas pretendo dar uma olhada.

    Conheço alguns que são animes/séries, vou deixar recomendado.

    Macross Zero
    Clannad(Esse é anime/novela, tem uns 50 epis divididos em 2 temporadas)
    Angel Beats (Anime)
    Spice and Wolf (Ookami to koushinryou)

  • Excelente post. Particularmente gosto muito das animações do Miyazaki. Acho que faltou o castelo animado na lista.

  • Interessante. Eu particularmente gosto de alguns outros filmes do Isao do que do Miyazaki.

  • Orgulhosamente programei uma 'chamada' para este ótimo artigo no novo site dos Blogueiros do Brasil. O post será publicado dia 10/11 às 17h .

    Abraços cordiais.

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas