You are here:  / Destaque / Filmografia / Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação, foi batizado como Michael Sylvester Gardenzio Stallone. Nasceu no dia 6 de julho de 1946 e, no parto, sua mãe teve complicações, obrigando os médicos a utilizarem um aparelho chamado fórceps, isso causou um corte num nervo de sua face, causando a paralisia de todo lado direito de seu rosto. Seus pais sempre tiveram um casamento conturbado e se divorciaram quando o pequeno completou 9 anos. O garoto ficou com sua mãe e frequentou escolas na Califórnia, além da Miami Dade College.

Início de carreira!

Após um tempo foi morar sozinho. No desespero de conseguir dinheiro para pagar o aluguel de seu apartamento, aceitou participar do filme pornô The Party at Kitty ans Stud’s (1970), faturando US$ 200 por dois dias de trabalho. O filme ganhou o título de Garanhão Italiano em seu relançamento, quando Sly já era famoso por conta de Rocky Balboa.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

No mesmo ano fez No Place to Hide, que ganharia o novo título de Rebelde, além de ter uma breve aparição em Bananas (1971) dirigido por Woody Allen e no thriller Klute – O Passado Condena (1971). Em 1974, protagonizou Os Lordes de Flatbush, sem grande reconhecimento, mas que serviu para ele escrever alguns diálogos adicionais. Em 1975 voltou a ser coadjuvante em O Prisioneiro da Segunda Avenida e Corrida da Morte – Ano 2000, ganhando bom destaque e dividindo a cena com David Carradine. Neste período, casou-se com Sasha Czack.

Virando o jogo. Um sucesso chamado Rocky!

As coisas pioraram e além de ir morar na rua, teve que vender seu cachorro, já que não tinha dinheiro para alimentá-lo. Mas ao assistir uma luta de boxe com Muhammed Ali, resolveu escrever o roteiro daquele que seria seu personagem mais icônico. Dali alguns dias a história estava pronta e Sly levou o projeto aos estúdios, pedindo para que fosse o protagonista. Ofereceram até US$ 350 mil, porém, eles não queriam ter o longa estrelado pelo desconhecido ator. Insistente ao extremo, o estúdio então, aceitou pagar US$ 35 mil e ele ficou com o papel principal.

O sucesso de Rocky – Um Lutador (1976) foi gigantesco e além das 10 indicações ao Oscar, onde venceu três delas, faturou US$ 225 milhões contra um orçamento de míseros US$ 1 milhão. Há uma estátua de Rocky na Filadélfia, próximo aos degraus do Museu de Arte da cidade.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Pegou gosto pelos roteiros e escreveu o drama F.I.S.T (1978), que fala sobre um trabalhador que se transforma em um líder sindical, além de assinar e dirigir pela primeira vez A Taberna do Inferno, que recebeu boas críticas na época do lançamento.

Stallone faz as pazes com as bilheterias em Rocky II – A Revanche (1979), arrecadando nada menos que 200 milhões de dólares ao redor do mundo e revisitando a rivalidade do protagonista com Apollo Creed.

Entrou na década de 80 reinando absoluto com o drama esportivo Fuga para a Vitória, ao lado de Michael Caine e ninguém menos que o rei do futebol, Pelé. Na sinopse, prisioneiros em um campo de concentração nazista montam um time para jogar contra a seleção alemã. Primeiramente planejam fugir durante os treinamentos, mas decidem ficar e disputar a partida.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Falcões da Noite é seu próximo projeto. Aqui já começa a utilizar os cacoetes do gênero de ação, já que é um policial à procura de um terrorista. Mas é em 1982 que é o seu ano no cinema! Teríamos o terceiro capítulo da saga do boxeador em Rocky III – O Desafio Supremo, fechando o caixa com ótimos US$ 124 milhões e Rambo – Programado para Matar, baseado no livro de David Morrell. O filme abre as portas para o gênero conhecido como ‘exército de um homem só’, que borbulhou naquela época.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Se aventura na direção de Os Embalos de Sábado à Noite Continuam e ninguém entende ao certo o porquê desta escolha. Ele dirige, escreve o roteiro e produz e, no fim das contas, levou uma surra de público e crítica.

Em Rhinestone – Um Brilho na Noite (1985), muda o foco e protagoniza uma comédia musical. Seu personagem é um taxista que se transforma numa estrela da música.

O astro aprendeu que quando estivesse indo mal nas bilheterias era só ressuscitar seus personagens mais icônicos. E no mesmo ano de Rhinestone estreou Rocky IV, onde contracenou com Dolph Ludgren e arrecadou 127 milhões de dólares (este foi seu último trabalho como diretor nos anos 80) e Rambo II – A Missão, produzido por James Cameron e roteirizado por Sly. Teve uma aceitação incrível (150 milhões nas bilheterias), tudo por conta da ação imposta pelo italiano George P. Cosmatos.

Repetiria a dose com Cosmatos no galhofa Cobra (1986), que hoje em dia serve como um filme de comédia involuntária, com diálogos absurdos e um figurino horroroso. Aqui no Brasil o filme teve diversas versões (censura 16 anos, 18 anos e etc) e ganhou fãs pelo mundo, apesar dos críticos terem odiado – e nessa eles tinham razão.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Outro clássico sempre presente na Sessão da Tarde foi Falcão – O Campeão dos Campeões (1987), produzido pela mítica Cannon Films.

Muitos fracassos… poucos sucessos

Sly não se reinventou e fez escolhas um tanto duvidosas. Trabalhou no péssimo Rambo III (1988), no divertido Tango e Cash (1989), ao lado de Kurt Russell, no violento, mas desnecessário Condenação Brutal (1989) e no que seria o derradeiro desfecho do boxeador californiano em Rocky V (1990). Destes, apenas o último foi um fracasso total de público e crítica.

Outros dois desastres totais foram as comédias Oscar – Minha Filha Quer Casar (1991) e Pare! Senão Mamãe Atira (1992), naquela velha sina de brucutus se meterem em comédias pastelão.

Ao colocar as mãos no roteiro de Risco Total e dar a Renny Harlin a direção, Stallone retomou as grandes bilheterias e somou US$ 255 milhões no mundo todo.

Outra leva de fracassos de crítica, mas sucessos de público viriam com O Demolidor (1993), O Especialista (1994) e Day Light (1996), este último teve êxito apenas fora dos Estados Unidos. Nesta época, o fracasso de O Juiz e Assassinos, ambos de 1995, também foram notados. Já Cop Land (1997) teve êxito contrário, já que ganhou elogios e foi esquecido pelo público. Era o projeto mais diferente e sério que Stallone havia entrado nos últimos 10 anos. Faturou até o Stockholm International Film Festival na categoria Melhor Ator.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Emprestou o vozerão para o personagem Weaver em FormiguinhaZ (1998), e viu seu reinado desmoronar com produções que iam direto para home vídeo como O Implacável (2000), Alta Velocidade (2001), Missão Perigosa (2002), D-Tox (2002) e até Táxi 3 (2003). A coisa estava tão feia que decidiu ser o vilão de Pequenos Espiões 3D (2003).

O retorno triunfal!

Afastou-se dos cinemas por três anos, mas nem por isso ficou parado, tendo pequenas participações em seriados. Em 2006, após muita desconfiança, dirige e atua no sexto filme da franquia de Rocky Balboa. Para a surpresa de todos, faturou mais de US$ 150 milhões e ainda nos emocionou, criando um desfecho digno para o pugilista (por enquanto!). Iria muito bem também em seus dois projetos seguintes: Rambo 4 (2008), com US$ 113 milhões e Os Mercenários, que é uma homenagem digna e divertida ao cinema brucutu, que também ultrapassou a marca dos 100 milhões de dólares e, de quebra, foi a maior estréia em 35 anos de carreira.

Com a imagem novamente fortalecida em Hollywood, pôde tocar outros projetos. Prova disso é o razoável Alvo Duplo (2012), o divertidíssimo Os Mercenários 2 (2012), com Chuck Norris e Van Damme, a comédia Ajuste de Contas com Robert De Niro, Rota de Fuga, onde divide a tela novamente com Schwarzenegger e Os Mercenários 3, que não conseguiu manter o bom nível dos anteriores.

Perdeu seu filho Sage Stallone em 13 de julho de 2012, depois de um ataque cardíaco fulminante.

Tenta retomar a carreira no gênero dramático no horroroso Lute por sua Vida e se transforma num envelhecido e frágil ex-lutador em Creed: Nascido para Lutar, onde fatura o Globo de Ouro e uma indicação ao Oscar de Ator Coadjuvante.

Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação

Sua participação em Guardiões da Galáxia Vol. 2 é divertidíssima, assim como o seriado Ultimate Beastmaster, onde dirige juntamente com David Croome. Em 2018 produz a refilmagem de Desejo de Matar, que estreia por aqui em maio e Creed 2, onde colocará frente a frente o filho de Apollo Creed contra o filho de Ivan Drago.

Mais pra frente ele planeja filmar Rota de Fuga 2 e 3 (que já estão com roteiro prontos) e Os Mercenários 4.

Esta é nossa homenagem a Sylvester Stallone, o astro do cinema de ação! E que ele ainda tenha muito fôlego para alegrar os novos e antigos fãs.

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Board Games