You are here:  / Críticas / Stigmata tenta ser O Exorcista, mas erra feio

Stigmata tenta ser O Exorcista, mas erra feio

Foi aqui que conheci e comecei a admirar o trabalho de Gabriel Byrne (Navio Fantasma). Ele interpreta um padre/cientista em Stigmata, um suspense que não mudará a vida de ninguém, mas é assistível. Stigmata

Apesar dos (supostos) brasileiros falando castelhano, a produção se supera e acerta em cheio ao retratar a vida de Frankie Paige. Ela é uma garota descrente, interpretada por Patricia Arquette, que recebe os estigmas de Cristo sem saber ao certo o que são. O padre Andrew Kiernan é chamado para tentar desvendar o mistério.

Com belas cenas e roteiro bem intencionado (mas lotado de clichês), Stigmata segura o espectador até o final, que é sem nexo. Com uma fotografia quase sempre escura, este é um exemplo regado de pouca originalidade. A interpretação de Arquette tem ares de Linda Blair, com direito a mudança de voz e tudo.

Já o comandante da obra, Rupert Wainwright, é praticamente um novato. Isso fica visível pela forma com que seus enquadramentos são feitos ou as ‘imitações’ referentes a outros projetos do gênero.

Prefira O Exorcista, pois este é um exemplo da falta de originalidade na Terra do Cinema.

NOTA: 5,0
ORÇAMENTO: —

Comente via Facebook

Comentários

3 COMMENTS

  • é… Stigmata é um excelente filme mesmo… boa indicação!!!

  • É ótimo mesmo!! Ahh V DE VINGANÇA é outro que é uma maravilha!! Com o tema que aborda, duvide que fique “velho”

  • Parece que o filme ganhou um pequeno status de “cult” após seu lançamento (especialmente entre os adolescentes), mas achei que poderia ter sido mais assustador.
    Naquele mesmo ano, Gabriel Byrne apareceu no tematicamente similar FIM DOS DIAS.

    Cumps.

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas