You are here:  / Críticas / SERPENTES À BORDO

SERPENTES À BORDO

moviepicturefilm.comMescle um roteiro extremamente fraco, diálogos sem o mínimo de cabimento, um avião, centenas de cobras e Samuel L. Jackson (‘Shaft’). Se gostou desta mistura, então está preparado para ver ‘Serpentes à Bordo’. A produção, na verdade, começou como um evento na Internet e foi ganhando força, até estrear nos cinemas americanos e eventualmente nos outros países.

Há cenas bacanas que os aficionados pelo sub-gênero trash irão gostar. Não existe qualquer tipo de seriedade e as mortes estão lá quase como ator principal – não leve nenhum frame a sério.

E a pergunta que fica ao subirem os crédito é: o que faltou para ser sucesso?
Ponto 1: Fazer os produtores se lembrarem de que, no início, seria apenas um filme voltado para um nicho específico.
Ponto 2: Jackson, David Ellis (também diretor do suspense ‘Celular’) e outros inseridos na obra, serem menos cafonas e falsos. A sonolência, em alguns momentos, é inevitável e há sequencias que fazem o entretenimento virar frustração completa.

Depois de presenciar alguém ser morto, um jovem sai da cidade natal e vai depor em Los Angeles. O assassino descobre em qual avião ele embarcará, infesta o Boing de (adivinhem!) cobras para o rapaz ficar calado. Faltava agora filmarem ‘Serpentes à Bordo 2’. Alguém duvida?

NOTA: 4,0
ORÇAMENTO: 35 Milhões de Dólares

Comente via Facebook

Comentários

1 COMMENT

  • Não tenho coragem de ver esse filme… ele tem muito jeito de ser ruim… não estou afim de gastar dinheiro com ele

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Canal Cinema e Pipoca