You are here:  / Destaque / Especial CP / QUANDO AS VÍDEO LOCADORAS FAZIAM PARTE DO MEU DIA A DIA

QUANDO AS VÍDEO LOCADORAS FAZIAM PARTE DO MEU DIA A DIA

Hoje em dia o mercado de home-vídeo passa por um processo difícil, principalmente por causa da pirataria, e os poucos proprietários de vídeo locadoras que ainda se mantém ‘vivos’, penam para conseguirem um tostão se quer no final do mês. Se na época das ‘vacas gordas’ era praticamente impossível encontrarmos as estreias do mês nas prateleiras por conta da alta procura, hoje há um acumulo de poeira entre um DVD/BluRay e outro.

Como não sou tão garoto assim, me lembro desta época com todo carinho, pois as saudosas vídeo-locadoras foram um grande caminho para que eu pudesse moldar minha paixão pelo cinema. Ficava horas e horas, olhando prateleira por prateleira, para saber qual título iria levar – e essa característica um tanto metódica e indecisa deixava minha mãe com os nervos à flor da pele.

Fiz também algumas amizades, pois num ambiente como aquele era impossível não pedir uma sugestão ao atendente ou mesmo a outro cliente. Lembro-me do dia em que tive o prazer de alugar o romance espanhol ‘Elsa e Fred – Um Amor de Paixão’ (dica de uma das funcionárias da 100% Vídeo) ou os clássicos como ‘Poderoso Chefão’, ‘Alien – O 8º Passageiro’ e as animações japonesas como ‘Dragon Ball Z’ ou o violento ‘O Oitavo Homem – O Policial do Futuro’ – em casa o acordo era o seguinte: se eu conseguisse boas notas nas provas da escola poderia alugar os filmes, caso contrário, ficaria de mãos atadas.

Outro ponto curioso eram as sessões de filmes pornográficos, que ficavam numa salinha isolada e com as portas sempre fechadas. Todo moleque ficava curiosíssimo para entrar, mas um pouco envergonhado também – pelo menos era o meu caso.

Frequentei desde as locadoras de bairro até as grandes lojas da 100% Vídeo e Blockbuster, mas tenho também o desprazer de ver estes mesmos estabelecimentos fechando as portas de maneira dramática, como ocorreu há pouco tempo com a própria Blockbuster americana.

É triste saber que estas novas gerações não terão o privilegio de serem apresentados a este tipo de estilo de vida e se nos anos de 2003, por exemplo, o número de videolocadoras era de aproximadamente 14 mil, hoje não passa de 3 a 4 mil. Numa pesquisa rápida, constatei que para abrir uma franquia da 100% Vídeo, a pessoa terá que pagar R$ 190 mil reais e se não há perspectiva de lucro, como gastar essa grana toda?

Quem viveu a época guardará tais momentos dentro do coração, quem nasceu depois, nunca entenderá por completo o real motivo deste texto.

Comente via Facebook

Comentários

12 COMMENTS

  • Sou do tempo das locadoras não sei como eram as blockbuster e as 100% vídeo mas as locadoras de bairro eu conheci e eram uma droga, não tenho saudades.
    – pouca gente que eu conhecia podia alugar vídeos (fitas e dvds) toda semana mesmo naquela época os preços eram altos;
    – toda a locadora tinha um rebobinador mas cobravam taxa para fitas não rebobinadas o rebobinador deles era só pra enfeitar;
    – falam que dvd pirata estraga o aparelho colocar uma fita cassete ou um dvd que passou por uns 1000 aparelhos fazia um estrago bem pior:
    – multa por atraso eu achava justo, o que eu não achava justo era ver parentes e amigos de funcionários atrasarem e não pagar a taxa;
    – fila de espera para um lançamento era justo, o que não era justo era estar com nome na lista, pagar adiantado marcar dia e hora para buscar o filme e quando chegar na locadora ele ter sido entregue para outra pessoa (amigos e parentes de funcionários);
    – quando seu aparelho de vídeo cassete ou dvd quebravas com as fitas sujas e dvds arranhados ninguém te reembolsava;
    – sempre que alugava um dvd verificava se estava arranhado se estivesse nem levava senão corria o risco de pagar um dvd novo pra locadora;
    Hoje em dia dá pra ver filme na internet, comprar pacotes de canais e filmes, comprar dvd em lojas e é claro tem os dvds piratas, e que ninguém venha criticar porque quase todo mundo já comprou jogos e dvds piratas e estes raramente estragam os aparelhos (mesmo não tendo muita qualidade) , são baratos se der defeito o tio da barraca troca, da pra assistir quantas vezes quiser e quando enjoar você troca com um amigo ou doa pra alguém. Parei de alugar em locadoras em meados de 2007 e não tenho saudades.
    Você fala como se com o fim das locadoras as pessoas não fossem mais assistir filmes ao contrario as pessoas tem mais acesso a filmes agora do que antes, quando era criança coleção de filmes da Disney em vídeo ou dvd era caríssima hoje as crianças tem esses dvds aos montes em casa.
    E se depender das gerações de hoje os dias locadoras estão mais que contados!

    • Você deturpou um pouco do que eu tentei expressar. Nunca disse – e nem passou pela minha cabeça – que as pessoas de hoje em dia ficariam sem ver filmes, só disse que não iriam ter a magia de ir para as locadoras, escolherem os filmes e etc. Acredito que você não tenha tido boas experiências em video locadoras, caso contrário, sua opinião seria completamente diferente. Reveja seus conceitos e converse com alguns amigos mais velhos e entenderá o motivo da postagem. Como disse no final do texto ‘Quem viveu a época, guardará tais momentos dentro do coração, quem nasceu depois, nunca entenderá por completo o real motivo deste texto.’

  • Parabens pelo post. fui dono de video locadora por 16 anos 1996-20012. desde a epoca do vhs ao dvd e blueray. aguentei ate o ultimo momento para depois fechar as portas.

    • Obrigado demais Luciano! E continue acessando o Cinema e Pipoca!

  • Texto perfeito.Realmente era assim mesmo na sessão porno, eu ainda era muleke 15 anos e morria de vontade,mas tinha vergonha de ser visto lá,poxa até hoje eu tenho. Sou da época do VHS. imagina só a dificuldade para ver um pornozinho.

    • Concordo plenamente contigo Fernando. Era mais fácil esperar no sábado à noite para uma sessão do Cine Privé! rsrsrsrs

  • verdade meu amigo assim tambem como os cds de musica,hj em dia a galera do usa pen drive nunca sentiraão o gostinho de comprar um cd original e abrir o encarte com as letras d musicae e fotos da banda e do cantor

    • É uma época incrível que não volta mais Mayron. Mas ainda bem que pudemos aproveitar um pouco dela! Grande abraço!

  • O pior era devolver os filmes com prazo, nossa as vezes eu achava que ia ficar em casa e surgia um convite para sair, ou seja, ou assistia o filme correndo ou na maioria das vezes, devolvia sem assistir.

    Uma vez meu vídeo cassete enroscou um lançamento, caramba sorte que partiu a fita bem no final, onde estavam os créditos, meti um durex e tentei a sorte porque lançamento era caro, ainda bem que passou pelo próximo cliente e funcionou.

    Já sai de casa a noite 21:45 para devolver filme as 22:00 que era quando a locadora fechava. Dava 15 minutos da minha casa a pé, ia correndo pra fazer em dez, pq tentava assistir o filme no prazo, pois não gostava de pagar sem assistir.

    Essa vídeo locadora virou lan house para tentar sobreviver, o plano B funcionou durante um tempo, mas com a internet popularizando, aí o dono teve que fechar, pois investiu em dois negócios que se tornaram obsoletos e acho que não teve dinheiro para investir num plano C

    Sentir falta de locadora é o mesmo que sentir saudades do velho lampião a gás.

    • Ótimo texto Erica… Mas o fato é que ainda tem gente que sente saudades do lampião a gás. O fato é que a nostalgia faz parte do nosso dia a dia. Grande abraço!!

  • Post fantástico, tenho 24 anos e lembro quando tinha 8 anos e ia com meu pai alugar filmes do Bruce Lee, Van Damme, Chuck Norris, Bud Spencer, sem contar a amizade com o Dono da Locadora que sempre ficava um tempão falando qual filme levar.

    Obrigado por me fazer lembrar dessa época!

    • Obrigado você por fazer um comentário tão legal! Continue sempre acessando o Cinema e Pipoca!

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas