You are here:  / Críticas / O Homem que Copiava, o cinema nacional que dá orgulho!

O Homem que Copiava, o cinema nacional que dá orgulho!

Jorge Furtado (do genial curta metragem Ilha das Flores) com um quarteto lotado de química e leveza, consegue fazer de O Homem que Copiava uma das grandes surpresas deste ano. Pena que tenha sido ofuscado pelo tendencioso e fraco Carandiru.

O Homem que Copiava

Primeiramente Lázaro Ramos e Leandra Leal, bem como Luana Piovani e Pedro Cardoso tem um timing perfeito para um humor ácido que o roteiro pede. Sem contar que as produções gaúchas ganham cada vez mais prestígio.

A inserção de pequenas animações, deixa O Homem que Copiava com uma fluência e dinâmica ainda melhores.

As narrações em off pontuam bem todos os atos do filme sem ser pertinente ou repetitivo. Enfim, mesmo tendo ótimos personagens, o maior responsável pela excelência do projeto é mesmo Jorge Furtado.

Sinopse de O Homem que Copiava:

André é um jovem que trabalha como operador de fotocopiadora. Ele tem uma rotina bem comum e se apaixona por Sílvia. Descobre, então, que a garota trabalha numa loja de roupas. E agora, tentará de tudo (tudo mesmo) para se aproximar dela e convidá-la para sair.

NOTA: 8,0
ORÇAMENTO: —

Comente via Facebook

Comentários

2 COMMENTS

  • Muito bacana esse filme…gostei mesmo! 🙂

  • esse filme é muito foooooooda!!!
    tava esperando a sua critica depois que ele passou na globo hehehhe

    []ss

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas