You are here:  / Críticas / O Hobbit A Desolação de Smaug

O Hobbit A Desolação de Smaug

Peter Jackson é um diretor que se revelou para o mundo com a trilogia O Senhor dos Anéis. Logo depois de algumas “cabeçadas” em sua filmografia, teve a oportunidade de retornar àquele universo fantástico com O Hobbit – Uma Jornada Inesperada. A obra agradou em cheio os fãs de Tolkien e, com isso, era óbvio que sua continuação estaria entre as mais aguardadas de 2013.

Mas a expectativa positiva deu lugar à desconfiança. Já que o diretor pareceu ter se encantado demais com os efeitos especiais e se esqueceu de transpor a solidez costumeira no roteiro. O Hobbit A Desolação de Smaug também deveria ter um corte final com vinte ou trinta minutos a menos. Há sequências, como a luta nos barris, que são longas demais.

Por causa disso tudo até o carismático Bilbo, vivido por Martin Freeman, acaba perdendo espaço e dando lugar há uma espécie de videogame de quase 3 horas. Bem como o Dragão Smaug, que fica aquém do esperado. Se sua presença serviria como uma espécie de substituição a Smeagol/Golum faltou mais carisma e menos grandiloquência ao personagem.

No fim das contas, resolvem terminar este segundo episódio da trilogia no ápice da ação, ou seja, pelo menos os espectadores terão motivos para crer que O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos tenha batalhas de cair o queixo. Está longe de ser o melhor filme do ano. Fica, no máximo, com o título de diversão escapista.

Sinopse de O Hobbit A Desolação de Smaug

Bilbo continua sua aventura com os anões. Gandolf os acompanha até a Floresta das Trevas, de lá, deverão ir sozinhos atrás de seus objetivos. Bilbo novamente utiliza o ‘Um Anel’ para safar-se de aranhas gigantes. Ao sair de lá, seguem em direção ao castelo, onde precisarão saquear uma relíquia do vasto tesouro do dragão Smaug.

Título Original: The Hobbit: The Desolation of Smaug
Ano Lançamento: 2013 (Estados Unidos/Nova Zelândia)
Dir: Peter Jackson
Elenco: Cate Blanchett, Martin Freeman, Elijah Wood, Hugo Weaving, Ian McKellen, Andy Serkis, Christopher Lee, Ian Holm, Evangeline Lilly

ORÇAMENTO: 270 Milhões de Dólares
NOTA: 6,0

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas