You are here:  / Críticas / Trailers / Jumanji: Bem Vindo à Selva é uma continuação inesperada

Jumanji: Bem Vindo à Selva é uma continuação inesperada

Que Jumanji: Bem Vindo à Selva é uma continuação inesperada, disso ninguém tem dúvida. Mas acredito que tenhamos que falar sobre este filme de maneira diferente… então vamos lá!

Fase 1: o clássico estrelado por Robin Williams

Ainda hoje, Jumanji, lançado em 1995 e dirigido por Joe Johnston, é um filmão. Envelheceu com elegância, é divertidíssimo, tem efeitos especiais competentes e ainda conta com Kirsten Dunst novinha no elenco. Não viu? Tá esperando o que meu amigo? Corre lá e veja!

Fase 2: o trailer e minhas primeiras impressões

Logo que coloquei os olhos no primeiro trailer, fiquei com duas sensações muito distintas. A primeira foi de alegria ao ver um remake (na época achava que iriam recontar a história de maneira diferente) estrelado por Dwayne Johnson e Jack Black e passado dentro de um game dos anos 80. A segunda foi de medo, pois iriam mexer num clássico que esteve presente na vida de muitos cinéfilos.

Jumanji: Bem Vindo à Selva é uma continuação inesperada

Pôster do filme

Tentei não ler muita coisa nem dos críticos e nem dos próprios espectadores que viram antes de mim.

Fase Final: mas e aí, vale a pena?

Foi ao iniciar a sessão que descobri que Jumanji: Bem Vindo à Selva era uma sequência, e a desculpa para que o board game se transforme numa fita de vídeo game é a mais genial e nonsense possível. Aliás, se você é gamer, vai se deliciar com tantas sacadas espertas inseridas pelos roteiristas Ted Field, William Teitler, Matthew Tolmach e Mike Weber (temos desde habilidades e fraquezas de cada avatar, até a questão do número de ‘vidas’ de cada um).

É verdade que o toque mais sombrio do primeiro não dá as caras por aqui – e isso poderá incomodar os fãs antigos. Mas ao escalar um quarteto com Dwayne Johnson (cada vez melhor no humor), Kevin Hart (gritos, só isso posso dizer dele), Jack Black (com sua persona feminina) e Karen Gillan (com uma cena de dança que me fez chorar de rir), o diretor Jake Kasdan (de Professora sem Classe) pede licença para rumar outros caminhos, dosando bem a comédia e a ação. E algumas são de tirar o fôlego.

O primeiro ato flerta com Clube dos Cinco (sim meus amigos, e isso foi um colírio para meus olhos) e expõe as personalidades dos jovens, que mesmo com os clichês costumeiros, consegue fazer com que os espectadores se importem com eles.

Tirando uma ou outra decisão do terceiro ato que se torna confusa e desnecessária, a mania de Kevin Hart de gritar o tempo todo e o vilão quase sem função, Jumanji: Bem Vindo à Selva é uma continuação inesperada, que poderá vir a ser uma franquia (e eu espero que isso aconteça) e que modernizou muito bem seu universo. Os blockbusters de 2018 começaram muito bem, obrigado! Que venham os outros.

Sinopse de Jumanji: Bem Vindo à Selva:

Quatro adolescentes em detenção descobrem um velho videogame e decidem jogá-lo. Ao iniciar, o grupo acaba transportado para dentro do jogo, a mesma grande floresta onde Alan Parrish foi transportado anos atrás, e tem de sobreviver à experiência se passando pelos quatro personagens que tinham escolhido.

Título Original: Jumanji: Welcome to the Jungle
Ano Lançamento: 2017 (Estados Unidos)
Dir:  Jake Kasdan
Elenco: Dwayne Johnson, Kevin Hart, Jack Black, Karen Gillan, Nick Jonas

ORÇAMENTO: 90 Milhões de Dólares
NOTA: 7,5

Confira também um dos nossos vídeos do Canal Cinema e Pipoca

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas