You are here:  / Games / Games | Final Fantasy XV: brotheragem sem limites

Games | Final Fantasy XV: brotheragem sem limites

Olá seres que tiveram seus pais assassinados e saíram em busca de justiça em uma terra desolada e repleta de monstros no maior RPG da história da internet! Tudo bem com vocês? (realmente me faltou fôlego até para escrever essa entrada). Hoje trago a análise de Final Fantasy XV, um dos melhores capítulos da saga. Então vamos direto ao que interessa.

AMIGO É COISA PRA SE GUARDAR, NUM CONSOLE DE NOVA GERAÇÃO

Passaram-se 10 anos, até que a Square Enix conseguiu, depois de tentar com capítulos “fracassados” para os consoles da geração passada, trazer a franquia de volta ao topo do mercado dos JRPG’S ou RPGs japoneses, para quem não tinha entendido a referência.

Na história, acompanhamos Noctis, que tem o reino destruído e seu pai morto. Agora, sai em busca de vingança contra o império das máquinas Nilfheim.

Embora seja cheia de clichês do gênero RPG, o segredo de tudo esta na idade entre o Noctis e seus três amigos, que o acompanham em sua roadtrip e o redefinem no maior estilo Conta Comigo (simbora ganhar pontos com o patrão ao citar o filme que ele ama).

Final Fantasy XV

Cena de Final Fantasy XV

OCIDENTE INFLUENCIANDO A FRANQUIA

Depois de muitos anos no estilo asiático de RPG, ou seja, o base turn (aquele em que o jogador aguarda a ação para poder ter seu turno), nessa nova aventura as lutas são realizadas mais a vontade, escolhendo armas e movimentos dos companheiros, mas sem carregar o turno. O melhor de tudo, fora gráficos e exploração total do maior mapa da série, é o bate papo entre os protagonistas, reclamando do quanto você corre ou do quanto esta evoluindo e esquecendo de evoluí-los. A brotheragem é excelente e te faz querer explorar tudo nesse maravilhoso universo.

Sem dúvida Final Fantasy XV é um jogo a ser comprado pelos amantes de RPG. Espero que tenham gostado. Um abraço moreno e até semana que vem.

Por Alessandro Oliveira

Confira mais em nossa coluna de games!

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas