You are here:  / Críticas / ENCONTRO EXPLOSIVO

ENCONTRO EXPLOSIVO

cinemacomrapadura.com.br

 

Tudo bem que o cinema é fantasioso e inúmeras vezes não condiz com a realidade, mas existe um grau de tolerância para isso e diretores que sabem dosá-la com perfeição. James Mangold, em sua primeira incursão nos blockbusters americanos, cai num efusivo emaranhado de clichês, a começar pelos protagonistas, passando pelas coreografias de ação, até chegar ao desfecho, panfletário e banal (comigo, sem mim, comigo, sem mim… – terrível, quem viu, sabe do que estou falando!).

Burocrático e tendencioso, Tom Cruise (‘Operação Valquíria’) e Cameron Diaz (‘As Panteras’), são uma cópia descarada de Brad Pitt e Angelina Jolie em ‘Sr e Sra. Smith’, com menos carisma e química. Em inúmeros momentos existem cortes abruptos, que acabam deixando o espectador sem saber ao certo o que aconteceu.

Há uma seqüência em que os protagonistas fazem um balé ao atirarem nos inimigos e a sensação foi a de que Mangold queria gritar para o mundo: “Eu queria ser Doug Liman, porra!”. Apesar disso, as locações ao redor do mundo são de tirar o chapéu e, provavelmente, ‘Encontro Explosiva’ se safa do desastre total por causa deste detalhe.

O agente secreto Roy Miller esconde consigo uma bateria que nunca descarrega e está sendo procurado pelo governo norte-americano e por um contrabandista de armas. Aparece então June Havens em seu caminho e ele a usa para passar com o material pela alfândega. Ela, mesmo sem perceber, vai entrar nesta caçada ao lado do veterano agente.

Com visíveis influências da produtora, a película é um misto de comédia, aventura e romance que não engrena nunca. Esperamos não termos que ‘apreciar’ uma indigesta continuação. James Mangold, volte aos filmes independentes, pelo amor dos Lumiere.

Título Original: Knight & Day
Ano Lançamento:
2010 (EUA)

Dir.:
James Mangold

Elenco:
Tom Cruise, Cameron Diaz, Peter Sarsgaard, Jordi Mollà, Viola Davis, Falk Hentschel, Paul Dano

ORÇAMENTO: 117 Milhões de Dólares

Comente via Facebook

Comentários

1 COMMENT

  • A cena da motocicleta, onde a atriz se vira para atirar nos agentes que os perseguem, é de uma marmelada tão grande que nos faz achar qe tá assistindo a um desenho animado. O filme tem lá sua graça, mas é totalmente dispensável.

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Canal Cinema e Pipoca