You are here:  / Críticas / Efeito Borboleta e as viagens no tempo de Ashton Kutcher

Efeito Borboleta e as viagens no tempo de Ashton Kutcher

Efeito Borboleta poderia ser um produto sem pé nem cabeça, onde diretores e produtores misturam diversos gêneros em um único filme e o transformam numa colcha de retalhos. Mas os diretores e roteiristas Eric Bress e J. Mackye Gruber moldam uma trama tão feroz, onde cada ato do protagonista e sentimentos como culpa, Efeito Borboletavingança, remorso e amor são fortemente maximizados. Aliás, Ashton Kutcher manda bem na atuação, se distanciando das comédias românticas chatinhas.

O baixo orçamento é notado principalmente nas cenas contendo computação gráfica, mas tudo isso é seguramente driblado pela eficácia na narrativa. Os 100 minutos do longa ganham reviravoltas interessantes, calcado numa trilha sonora bacana, mas sem grandes novidades.

Amy Smart (Tá Todo Mundo Louco) está levemente deslocada e existem cenas que poderiam ser retiradas no corte final, porém como esperava pouquíssimas coisas boas desta produção, fiquei contente em presenciar mais que outro caça-níquel de quinta categoria.

Sinopse de Efeito Borboleta:

Evan tem o dom de retornar ao passado para tentar concertar algumas burradas que fez, toda vez que lê seu diário. Mas a cada viagem, algumas feridas se fecham e outras acabam se abrindo, quase como ciclo vicioso.

NOTA: 7,5
ORÇAMENTO: 13 Milhões de Dólares

Comente via Facebook

Comentários

2 COMMENTS

  • realmente um filme surpreendente.um filme inteligente, um filme que se precisa prestar atenção e assistilo segundo a segundo e ligar seus fatos parar tentar descobri o que vai acontecer. nã é + um filem que se vc assistir o começo e o final vc sabe o que se passou no meio.
    um ótiomo filme

  • um dos roteiros mais originais q jah tive oportunidade de ver. Acontece coisas pelas quais vc nao esta acostumado a assistir no cinema atual. Belo entretenimento

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Canal Cinema e Pipoca