You are here:  / Críticas / CONTA COMIGO

CONTA COMIGO

videosclassicos.blogspot.com

Olha, fazia tempo que não chorava em frente ao televisor. Muitos filmes me deixam com um tremendo nó na garganta mas consigo controlar minhas lágrimas, mas revendo “Conta Comigo”, surgiu uma saudade enorme da inocência de outrora, que foi perdida conforme me tornei adulto. Rob Reiner (“Antes de Partir”) mesclou inúmeras referências daquela geração e fez uma obra prima despretensiosa e sutil.
A começar pela ótima dublagem nacional, tudo é motivo para querer mais e mais destes quatro amigos, que saem da cidade não só para encontrar um cadáver no meio da floresta, mas também para procurarem a liberdade que não haviam conseguido em casa. O melhor e mais complexo personagem é o de River Phoenix (“Indiana Jones e a Última Cruzada”), chamado Chris Chambers, o delinquente da cidade que acaba compreendendo mais Gordie Lachance do que os pais do melhor amigo e tem consciência de que esse ciclo pode deixar de existir quando o ano letivo se encerrar.
Tirado do conto “The Body”, é fácil perceber que o protagonista é baseado em Stephen King por contar vários detalhes da sua vida (desde o irmão morto até as histórias medonhas contadas por ele) e Reiner cria, a partir disso, personalidades fortes não só para Chambers, com cargas dramáticas elevadas. Quase todo elenco foi transformado em ícone oitentista, como o próprio Phoenix, Corey Feldman (“Os Goonies”), Kiefer Sutherland (do seriado “24 Horas”) e Jerry O’Connell (“Canguru Jack”).O clássico é calcado por uma trilha sonora genial (Stand by me como última canção é para descongelar o coração mais frio) e por narrações em off que pontuam bem o climão de nostalgia.

Meio sem querer, quatro amigos inseparáveis descobrem que existe um homem morto jogado perto dos trilhos do trem. Decidem então, partir para uma aventura sozinhos, desbravando a região para ver como é um cadáver. À contra ponto, os mais velhos estão dispostos a desaparecer com o morto para não deixarem vestígios do crime que cometeram.

Ao relembrar a sequência deles correndo do trem ou da parte das sanguessugas, me vem em mente como a Sessão da Tarde formou toda uma geração de cinéfilos e hoje, apenas retarda a inteligência das crianças com baboseiras inúteis. Bons tempos que não voltam mais, mas fico feliz por ter participado disso tudo e por ainda me emocionar com programas como este!

Título Original: Stand By Me
Ano Lançamento: 1986 (EUA)
Dir: Rob Reiner
Elenco: Wil Wheaton, River Phoenix, Corey Feldman, Jerry O’Connell, Kiefer Sutherland, Richard Dreyfuss, John Cusack

ORÇAMENTO: 8 Milhões de Dólares

Comente via Facebook

Comentários

3 COMMENTS

  • Na minha opinião um dos melhores filmes que retrata a verdadeira essência da amizade!
    Amo esse filme e não canso de assisti-lo. 🙂

  • Que belo texto, me fez recordar também. Um ótimo filme que merece, sem dúvida, ser revisto. Parabéns.

  • Análise muito bem feita do clássico "Conta Comigo".

    Revi este filme no TCM e concordo com cada letra desta crítica.

    E principalmente pelo seu raciocínio: "Ao relembrar a seqüência deles correndo do trem, ou da parte das sangue sugas, me vem em mente, como a Sessão da Tarde, formou toda uma geração de cinéfilos e hoje, apenas retarda a inteligência das crianças com baboseiras inúteis."

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Canal Cinema e Pipoca