You are here:  / Críticas / Trailers / Círculo de Fogo: A Revolta, continuação desnecessária

Círculo de Fogo: A Revolta, continuação desnecessária

Círculo de Fogo: A Revolta… não poderia haver subtítulo melhor do que este. Enquanto o primeiro filme, dirigido por Guillermo del Toro, tinha adrenalina, tensão, diversão e uma homenagem aos monstros gigantes japoneses e todas as séries tokusatsus, este não passa de um caça-níquel que tenta a todo momento colocar lutas maiores, cenários maiores e destruição num nível colossal.

Sim, saí do cinema revoltado pois não há paixão por esta história. O diretor Steven S. DeKnight, que havia trabalhado apenas em seriados como Demolidor e Dollhouse, pode conseguir tomadas interessantes, mas nada é inovador e, talvez, se Del Toro tivesse voltado ao comando e não apenas escrito o roteiro, as probabilidades desta nova salada de referências dar certo seria maior.

O grande problema é que mesmo com um elenco recheado de nomes interessantes como John Boyega, Scott Eastwood (que precisa de uma aula de atuação urgentemente) e os retornos de Burn Gorman e Charlie Day, o espectador não tem porquê se preocupar com seus personagens. Ficava há todo momento pensando: “bem que este mocinho podia morrer né… ele é tão chato!”.

Círculo de Fogo: A Revolta

Pôster do filme

Por fim, a nova geração neste Círculo de Fogo: A Revolta, que está sendo treinada pelo soldado vivido por Boyega, é patética e a desculpa do retorno dos Kaijus… é melhor nem comentar. Os efeitos especiais, a visão sobre a globalização – que está lá desde o primeiro segundo -, algumas tiradinhas e o descarado gancho para outra continuação foram alguns dos pontos positivos que posso citar. Veja por sua conta e risco ou então, reveja o primeiro que vale mais a pena!

Sinopse de Círculo de Fogo: A Revolta:

10 anos se passaram após os acontecimentos do primeiro filme. O filho de Stacker, responsável pelo comando da rebelião Jaeger, Jake Pendergast abandonou o treinamento de piloto do programa de defesa e se transformou num contrabandista de peças. Agora, com uma nova ameaça chegando, Mako Mori assume o lugar que era de Stacker e precisa reunir diversos pilotos. Ela procura o meio-irmão Jake e decide pedir para que ele ajude nesta escolha dos jovens combatentes.

Título Original: Pacific Rim: Uprising
Ano Lançamento: 2018 (Estados Unidos)
Dir: Steven S. DeKnight
Elenco: John Boyega, Scott Eastwood, Cailee Spaeny, Jing Tian, Rinko Kikuchi, Charlie Day, Burn Gorman

ORÇAMENTO: 150 Milhões de Dólares
NOTA: 4,0

Confira também um dos nossos vídeos do Canal Cinema e Pipoca

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Board Games