You are here:  / Críticas / Premiações / Trailers / Blade Runner 2049, Denis Villeneuve não erra nunca

Blade Runner 2049, Denis Villeneuve não erra nunca

Blade Runner 2049 é daqueles filmes que você precisará assistir mais de uma vez para pegar todas as nuances e essências inseridas naquele universo. O diretor Denis Villeneuve não erra nunca e já provou isso em projetos tão incríveis quanto Os Suspeitos, Sicário e A Chegada, só para citar alguns. Aqui, ele tem total liberdade de retomar algumas arestas da obra prima de 1982 e inserir novas camadas.

Ao expor diversas feridas da sociedade atual, o roteiro chama o espectador para perto e nos faz pensar que, talvez, não estejamos tão longe daquele futuro.

Ao que tudo indica, tivemos um período onde os replicantes desapareceram. Mas Wallace (interpretado com o freio de mão puxado por Jared Leto) cria um novo modelo e consegue erradicar a fome no planeta e solucionar outros problemas. Então tudo é lindo e perfeito por aqui correto? Não.

Las Vegas, San Diego e todas as cidades convivem com muito lixo, poluição visual e escuridão – em momento algum vemos a luz do sol por aqui. O preconceito entre humanos e replicantes está ainda mais presente, havendo uma resistência de antigos replicantes que vivem escondidos para, num breve futuro, tentarem uma retomada daquilo que lhe é de direito. Do lado dos humanos, a policial Joshi (Robin Wright, excelente) é a chave mestra nesta disputa de poderes e faz de tudo para eliminar os exemplares ‘defeituosos’.

Denis Villeneuve não erra nunca

Pôster do filme

Ryan Gosling se torna os olhos do público e vai desvendando, juntamente conosco, suas dúvidas e questionamentos, criando um personagem que condensa seus sentimentos com pequenos gestos. E por mais que Blade Runner 2049 seja lento, quando as cenas de ação chegam, é para ninguém botar defeito… e Gosling apanha feito gente grande.

Meu medo era que Deckard aparecesse apenas de maneira gratuita, como uma ferramenta para nostalgia. Mas é muito mais que isso, e a revisão de seu romance com Rachel é o estopim para outra virada excelente do roteiro. Assim como a inserção de Joi, uma realidade virtual que ama o agente K e tem complexidade, ingenuidade e sensualidade na medida – sempre quando ela surge, o filme se eleva.

E mesmo citando que Denis Villeneuve não erra nunca, seu corte final de quase 3 horas poderia ser diminuído em uns 15 minutos. Mas isso não tira os méritos desta grande obra que tem um ótimo climão noir, utiliza com maestria as camadas de cores e ainda acha espaço para discutir sobre implantação de memórias e quando elas seriam reais ou falsas. Merecia uma visibilidade maior nas indicações ao Oscar, mas já vale o reconhecimento.

Sinopse de Blade Runner 2049:

O novato oficial K desenterra, meio sem querer, um terrível segredo que tem o potencial de mergulhar a sociedade no completo caos. A descoberta acaba levando-o a uma busca frenética por Rick Deckard, desaparecido há 30 anos. Mas antes, precisará salvar sua vida, para que sua jornada não tenha sido em vão.

Título Original: Blade Runner 2049
Ano Lançamento: 2017 (Estados Unidos)
Dir: Denis Villeneuve
Elenco: Ryan Gosling, Harrison Ford, Ana de Armas, Sylvia Hoeks, Robin Wright, Mackenzie Davis, Carla Juri, Lennie James, Dave Bautista, Jared Leto

ORÇAMENTO: 150 Milhões de Dólares
NOTA: 9,0

INDICAÇÃO DO FILME PARA O OSCAR: Fotografia / Mixagem de Som / Edição de Som / Efeitos Especiais / Design de Produção

Confira também um dos nossos vídeos do Canal Cinema e Pipoca

Comente via Facebook

Comentários

3 COMMENTS

  • Pingback
    Blade Runner 2049, uma continuação a altura do original ⋆ Blogueiros do Brasil
  • A fotografia de Roger Deakins é, como se espera, magistral. Se antes afirmo que a angústia e o mistério são a tônica de 2049, muito deve-se ao trabalho de luzes e cores de Deakins, que alterna entre cenários acinzentados e outros extremamente coloridos. O filme Blade Runner 2049 me manteve tensa todo o momento, se ainda não a viram, eu acho que é o melhor filme de ficção cientifica que foram lançados.. No elenco vemos Ryan Gosling e Ana de Armas, dois dos atores mais reconhecidos de Hollywood que fazem uma grande atuação neste filme. Realmente a recomendo.

    • É um filme lindo, que anteriormente me deu medo, por achar que o universo não necessitava de uma continuação… Mas Denis Villeneuve é incrível e Ryan Gosling tem um personagem que soma a obra!

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas