You are here:  / Críticas / BESOURO

BESOURO

www.besouroofilme.com.br

 

‘Besouro’ tinha tudo para ser o nosso primeiro herói nacional com H maiúsculo, pois todos os elementos estão lá, ou seja, o lance da segregação racial como fator primordial para o desenvolvimento do personagem central, os orixás como mestres e sábios, a capoeira como forma de libertação, as paixões proibidas e muito da fauna e flora brasileira.

Mas há momentos em que as sequências beiram a panfletagem publicitária – é impossível ver as filmagens embaixo da água, por exemplo, e não se lembrar dos comerciais televisivos presentes em todas as emissoras – até porque, o diretor João Daniel Tikhomiroff, faz parte deste nicho e tem no currículo várias premiações em Cannes. Mesmo assim, ‘Besouro’ é um suspiro de inovação no cinema nacional, que já estava carente de outros gêneros senão os de ‘drama na favela’ e as irritantes ‘globoxanxadas’.

As lutas até se apresentam bem, mas infelizmente não podemos dizer o mesmo dos atores. O trio principal, formado por Aílton Graça, Anderson Santos de Jesus e Jéssica Barbosa, quase soletram as falas e o triângulo amoroso é dispensável, tendo pouca ou nenhuma química durante os 90 minutos frente às câmeras. Para coreografar as batalhas, foi chamado o chinês Huen Chiu Ku – o mesmo de ‘Kill Bill’ e ‘O Tigre e o Dragão’ – e é louvável tal experiência e expectativa criadas.

Inspirado livremente no livro ‘Feijoada no Paraíso’ de Marco Carvalho, a produção conta a história do maior capoeirista de todos os tempos, que viveu na época da escravatura. Desde pequeno foi treinado pelo mestre Alípio e quando este é assassinado, Besouro parte para tentar vingança e libertar seu povo da opressão.

No fim, o projeto acaba se escondendo demais dos inimigos e deixando os espectadores sedentos por mais batalhas épicas. Como a primeira tentativa de criar um herói ‘identificável’ com os cinéfilos e grande parte dos espectadores, Tikhomiroff enraíza uma pequena e valiosa mostra do que podemos esperar daqui para frente em relação a aventura e ação.

Título Original: Besouro
Ano Lançamento:
2009 (Brasil)

Dir.:
João Daniel Tikhomiroff

Elenco: Aílton Carmo, Anderson Santos de Jesus, Jessica Barbosa, Flavio Rocha, Irandhir Santos, Macalé

ORÇAMENTO: 10 Milhões de Reais

Comente via Facebook

Comentários

11 COMMENTS

  • Cara, gostei da critica. bateu com tudo que imaginei do filme.
    me frustrei demais com esse filme.

  • Desculpa a franqueza… mas o filme é muito ruim!

  • cara quando eu vi o trailer na internet eu fiquei de queixo caido, pensei q veria um puto filme de ação tupiniquim mas foi só decepção, meu deus onde q bahiano fala dakele jeito? qpee

  • O filme poderia render muito, muito mais. Mas foi uma experiência super válida. Espero ver uma sequência, ou outros filmes do gênero.

  • Esse filme passou em branco.

  • Desculpa a franqueza… mas o filme é muito ruim! [2]
    Voto do Capitão Nascimento pra heroi nacional!
    AHsAUhSusha

  • na verdade na verdade…

    o filme precisa melhorar muito para ficar ruim ainda…

  • Bom eu assisti o filme e não achei ruim. Também não achei um filmaça, e fui outro q esperava muito mais, mas foi longe de ser uma decpção. Gostei da experiência de uma nova proposta de tema para o cinema nacional, pois sinceramente mostrar favela ou bandidagem, comédinhas romanticas ou filmes que focam no nordeste já estava cansando.

    O cinema nacional precisa buscar novos ares e Besouro foi uma iniciação. Que venham novos filmes com mais variaçõs que o que vemos agora.

  • Esse filme tinha que melhorar muito pra conseguir ficar ruim.

    A categoria dele vai além é trash do começo ao fim, sem falar nos cliches e erros históricos.

  • é pura que começa
    finalmente um filme fora das favelas e documentarios sobre a pobreza do brasil
    mesmo assim
    por enquanto meu heroi de filme brasileiro é o cap. nascimento

  • Nâo gostei do filme. Com o decorrer da história, minha expectativa era enorme para oo final do filme. O que eu tive foi uma tremenda decepção e um sentimento de "perda de tempo".

    Não recomendo e não recomendei a ninguém que me perguntou.

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas