You are here:  / Críticas / Premiações / ALABAMA MONROE

ALABAMA MONROE

‘Alabama Monroe’ é, ao lado de ‘Gravidade’, o melhor filme escolhido pela Academia neste ano de 2014. Denso sem ser clichê e com atores incríveis, o diretor Felix Van Groeningen molda um emaranhado de emoções ao longo de pontuais 100 minutos e estuda a dor da perda de um filho e como isso pode afetar um casamento.

A trilha sonora, ritmada pela levada do blues e do country é poesia para os ouvidos, sem contar que a edição, principalmente no primeiro ato, com idas e vindas no tempo, lembra muito ‘Namorados para Sempre’. Elise utiliza seu corpo e suas tatuagens, como uma maneira de transpor suas alegrias – e futuramente suas frustrações –, levando consigo sonhos e uma certa inocência, ao contrário de Didier, que vai contra instituições religiosas e determinados tipos de governos – sua indignação para com os Estados Unidos, logo após George Bush vetar os estudos das células tronco é incômodo para o espectador também.

Porém, ao tentar gritar para o mundo todo o descontentamento de seus personagens – e talvez o seu próprio –, Groeningen perde a mão ao traçar atitudes que ao invés de parecerem desesperadas, tendem apenas a transformar-se num exagero.

Após algum tempo vivendo juntos, Elise, uma tatuadora e Didier, um músico, têm uma filha de forma inesperada, chamada Maybelle. Ao completar 6 anos, acabam descobrindo que a garotinha têm câncer e agora lutarão com todas as forças para salvar sua vida.

Por fim, fiquei impressionado ao notar o quanto ‘Alabama Monroe’ e ‘Philomena’ encaixam-se direitinho nos quesitos de religiosidade – ser cético ou acreditar naquilo que você nunca viu? –, esperança e força de vontade. É um filmaço, duro em seu contexto, mas que em sua simplicidade deixa um nó na garganta de qualquer cinéfilo que se preze.

Título Original: The Broken Circle Breakdown
Ano Lançamento: 2012 (Bélgica/Holanda)
Dir: Felix Van Groeningen
Elenco: Veerle Baetens, Johan Heldenbergh, Nell Cattrysse, Geert Van Rampelberg, Nils De Caster, Robbie Cleiren

ORÇAMENTO: —
NOTA: 9,5

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas