You are here:  / Críticas / A Noiva Cadáver, o stop motion nunca morre!

A Noiva Cadáver, o stop motion nunca morre!

Não é muito difícil perceber quando um filme é dirigido por Tim Burton. Ele usa sempre os mesmos artifícios técnicos e estéticos. Foi assim em Edward – Mãos de Tesoura, A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, A Fantástica Fábrica de Chocolates e neste A Noiva Cadáver.

Há um uso de pequenas sutilezas na criação de Burton. Ele diferencia o mundo dos vivos (triste e cinzento) e dos mortos (alegre, com cores mais vivas e intensas e uma agitação contagiante), pegando o espectador de surpresa. Bem como insere perfeitamente, o stop-motion.

Quinta parceria entre o diretor e Johnny Depp (da franquia Piratas do Caribe), A Noiva Cadáver diverte e entretém. Porém, tem um final repentino e, por isso, deixa um gostinho de que poderia ter sido ainda melhor.

Sinopse de A Noiva Cadáver:

O roteiro é tirado do folclore russo. Conta a história de Victor Van Dort e Victoria Everglot, que são tímidos e de poucas palavras. O casamento, na realidade, é arranjado, pois as famílias tem interesses financeiros, sem saber que ambas estão falidas. A situação sai do controle quando o rapaz, sem querer, evoca uma noiva que fora assassinada no dia do seu casamento e, agora, ele terá que se decidir entre ambas.

NOTA: 7,0
ORÇAMENTO: —

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas