You are here:  / Especial CP / 1982, o ano mágico dos blockbusters

1982, o ano mágico dos blockbusters

Em todos os anos no verão norte-americano, desde que Steven Spielberg impactou o mundo com Tubarão, os cinemas são tomados pelos lançamentos mais aguardados. Mas o título de o ano mágico dos blockbusters foi 1982, pois houve uma espécie de invasão de gêneros e de boas sacadas das produtoras, dos roteiristas e dos diretores.

o ano mágico dos blockbusters

Para começar tivemos continuações como Rocky III – O Desafio Supremo (fez só nos Estados Unidos mais de 125 milhões de dólares), onde o protagonista perde uma de suas lutas para Mr. T e conta com a ajuda de Apollo Creed em sua revanche, Mad Max II – A Caçada Continua, estrelado novamente por Mel Gibson e dirigido por George Miller, levando a guerra por sobrevivência a patamares muito maiores, num filme de ação de tirar o fôlego e por último, Jornada nas Estrelas II – A Ira de Khan que renovou o público da série e ainda ousou mesclar efeitos especiais incríveis para a época com stop motion. Leonard Nimoy foi convencido a voltar para o papel de Spock, o que fez a alegria dos fãs.

Tão clássico quanto polêmico, Poltergeist – O Fenômeno fez os espectadores acompanharem a saga da garotinha que desaparece sem explicação e começa a se comunicar com seus pais pelo aparelho televisor. A direção ficou a cargo de Tobe Hooper pós-O Massacre da Serra Elétrica e Spielberg assinou como produtor.

Falando no coroa, Spielberg arrebentou a boca do balão e criou um dos maiores ícones de 1982, um clássico lotado de ternura, melancolia e esperança chamado ET – O Extraterrestre, com uma pequeniníssima Drew Barrymore e arrecadou nada menos que 792 milhões de dólares. Com cenas e frases antológicas e o design perfeito do ser interplanetário, fez e continua fazendo muita gente chorar com aquele final.

o ano mágico dos blockbusters

Tron – Uma Odisséia Eletrônica é datado se visto hoje em dia, mas se pensarmos que a computação gráfica estava engatinhando naquela época, podemos aplaudir este feito de Steven Lisberger. Com cores vibrantes, ação diferentona e Jeff Bridges como protagonista, a ficção deu o que falar e, por isso, entra na nossa lista dos clássicos de 82.

Mais duas scifi surgiram, uma pelas mãos de John Carpeter, intitulada O Enigma do Outro Mundo, que aterrorizou multidões pois o nível de suspense e a forma com que o alienígena utiliza as pessoas como seu hospedeiro é de arrepiar e Blade Runner – O Caçador de Andróides que, por incrível que pareça, recebeu duras críticas quando estreou e só foi fazer sucesso e transformar-se em clássico algum tempo depois. Ridley Scott e Harrison Ford no auge da forma caçam os replicantes neste futuro distópico e vibrante.

o ano mágico dos blockbusters

E o embate mais poderoso eu deixei para o final. Dois filmes de ação com astros que redefiniram o termo brucutu. Primeiro Schwarzenegger em Conan – O Bárbaro, onde tomou para si a responsabilidade de dar vida ao personagem criado por Robert E. Howard e Stallone, completamente afetado pela Guerra do Vietnã em Rambo – Programado para Matar, tendo um dos desfechos mais tocantes da carreira do ator.

E para vocês, qual o melhor filme de 1982, o ano mágico dos blockbusters?

Comente via Facebook

Comentários

2 COMMENTS

  • Não, 82 foi foda mesmo! Assisti a maioria no cinema: Blade Runner, Poltergeist, Conan são filmes que não daria pra assistir na tv e achar que estava tudo bem. Pena que naquela época, pra mim, cinema era caro e não deu pra ver todos. Mas, realmente, 1982 foi um ano de OURO…bom a década de 80 foi show.

    • Dudu, sem sombra de dúvida a década de 80 foi incrível para o cinema e rever estes clássicos nos dias de hoje traz um sorriso no rosto de todo cinéfilo que se preze! Obrigado pelo comentário

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Séries

Games

Canal Cinema e Pipoca