You are here:  / Críticas / 10.000 A.C.

10.000 A.C.

www.adorocinema.com.brCom ‘10.000 A.C.’, Roland Emmerich poderia montar um épico exuberante, cheio de belas cenas, violência e efeitos especiais incríveis, mas mamutes já foram melhores digitalizados e urubus e galinhas gigantes mais ferozes. Seu roteiro mistura novela mexicana, frases feitas e ridiculamente interpretadas, atores novatos péssimos (diferentemente dos desconhecidos em ‘Apocalypto’) e uma mistureba histórica atordoante.

Se Matthew Broderick e Jean Reno foram totalemente caricatos em ‘Godzilla’, se ‘Independence Day’ se apoiou nos efeitos especiais e ‘O Dia Depois de Amanhã’ num gênero que sempre dá certo, esta nova empreitada do diretor foi por água abaixo por não se definir entre romance banal ou épico da pior qualidade. O único ponto positivo é a fotografia, deslumbrante em cada frame.

Nosso “herói” D’Leh é absurdamente piegas, bobo e lotado de clichês, tanto que os espectadores sentirão os olhos pesarem e terão a difícil missão de ficarem acordados nos 109 minutos da trama. Os coadjuvantes, com destaque para Camilla Belle também montam personagens tão profundos quanto um pires.

Quando subiram os créditos, me senti sendo chamado de mané, tamanha desconexão de tudo que presenciei. Alguém aí em Hollywood avise Emmerich que entretenimento não se resume a barulhos e efeitos especiais. Obrigado.

NOTA: 2,5
ORÇAMENTO: 75 Milhões de Dólares

Comente via Facebook

Comentários

LEAVE A REPLY

Your email address will not be published. Required fields are marked ( required )

Críticas

Pipocast

Séries

Entrevistas